30 ERROS QUE UM MINISTÉRIO DE LOUVOR NÃO DEVE COMETER (PARTE 3)

Chegamos a metade dos tópicos…

11-CONTAR HISTÓRIAS OU PIADAS FORA DE HORA

-Algumas histórias ou piadas, nunca deveriam ser contadas no púlpito da igreja. Não vulgarize o púlpito. Muitos querendo ser descontraídos acabam se tornando desagradáveis, fazendo colocações em momentos inapropriados, e por vezes dizem coisas com duplo sentido.

-Púlpito é lugar de profecia e não palco para piadas. Fomos chamados para ser profetas e não humoristas.

12-MINISTRAR O TEMPO TODO COM OS OLHOS FECHADOS OU OLHAR SÓ PARA UMA DIREÇÃO

-É importante olhar para as pessoas. Os olhos têm um poder impressionante de captar e transmitir mensagens não verbais.

-É importante transmitir amor, alegria e paz através do nosso olhar.Através de um olhar podemos abençoar as pessoas. Os que fecham os olhos ao minstrar, nunca vão saber avaliar seus ouvintes, lendo suas expressões faciais.

-Para alcançar a atenção de todos, é necessário olhar em todas as direções. Olhar só para uma direção pode transparecer que as pessoas não são importantes, ou que não precisam participar daquele momento de ministração.

-Estamos diante de Deus, mas também estamos diante do público. Estamos ministrando a Deus, mas também sendo instrumentos para abençoar a congregação.

13-EXAGERAR NOS IMPROVISOS

-A disciplina e a maturidade musical é algo que todo músico deve buscar. Precisamos entender que pausa também é música.

-Acompanhar um cântico antes de tudo, é uma prática de humildade e sensibilidade. Nas igrejas, geralmente, os instrumentistas e cantores querem mostrar sua técnica na hora errada. O correto é usar poucas notas, não saturar a harmonia, inserir frases nos espaços melódicos apenas, e o baterista conduzir. Economize informções musicais!

-Instrumental: procure tocar o que o arranjo está pedindo, sem se exceder. Todo músico deve aprender  a se “mixar” no grupo, aprender a ouvir os outros instrumentos, afinal, é um conjunto musical.

-Vocal: procure cantar a melodia, fazendo abertura de vozes e improvisando apenas em momentos específicos, criando assim, expectativa. Muitas vezes a congregação não consegue aprender a melodia da música por causa do excesso de improviso dos dirigentes e cantores.

-Avalie o que está tocando e entenda que o trabalho é em equipe, e não apresentação de seu CD solo.

-Procure gravar as ministrações, para que seja feita uma avaliação e as correções necessárias.

-Tocar e cantar de forma madura e eficiente requer disciplina, auto-análise e constante aprendizado.

14-NÃO TER EXPRESSÃO DURANTE A MINISTRAÇÃO DOS CÂNTICOS

-Não seja um “alienígena” em cima do púlpito. Participe de todos os momentos!

-A entonação da voz também é importante. Não combina, por exemplo, falar sobre alegria com uma entonação e um semblante triste e mellancólico. Você pode contagiar o público através da sua expressão e entonação de voz.

15-COMUNICAÇÃO INADEQUADA AO TIPO DE PÚBLICO

-Ser sensível ao tipo de público que estamos ministrando e utilizar uma linguagem adequada. A dinâmica de um culto congregacional é diferente, por exemplo, de uma reunião de jovens, ou crianças, ou evangelismo etc. Não trate um público maduro, por exemplo, utilizando uma linguagem de criança e vice-versa.

-Cuidado com erros de português, vícios de palavra e gírias. Não precisa ser formal, seja natural, sempre observando o público que você está ministrando.

Anúncios

2 respostas para “30 ERROS QUE UM MINISTÉRIO DE LOUVOR NÃO DEVE COMETER (PARTE 3)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: